Gilson

Nome

Gilson Celestino Borges Lopes da Costa

Alcunha

Gilson ou Chibiote

Data da Nascimento

26/08/1990

Na Delta Cultura desde

April 2013

Função na Delta Cultura

Coordenador de Programas

Sobre mim

Tenho 24 anos de idade e moro em Monte-Iria, cidade do Tarrafal. Sou licenciado em Estudos Ingleses, na vertente educativa, pela Universidade de Cabo Verde na cidade da Praia.
Sou uma pessoa muito reservado que gosta de cinema, desporto, particularmente futebol, música, e praia do mar. Também gosto de escrever e ler sobre o comportamento humano. Gosto de estar em ambientes relaxados mas não foge à minha realidade também de que gosto muito de diversão. Sou uma pessoa que se indigna com a injustiça, abuso e violência no contexto geral.
Embora considerado por muitos como uma pessoa tímida, e sendo uma pessoa de poucas palavras e muitos pensamentos, gosto de exercer da minha liberdade de escolha, liberdade de expressão e poder de decisão.
Partilho da crença de que vivemos num mundo em que todos os pensamentos e as atitudes das pessoas estejam sistematizados e manipulados por interesses individuais derivados de um sistema capitalista governado pelos elementos que constituem a negatividade humana.
Acredito que o poder da educação pode mudar o mundo embora seja notório que a mudança que o mundo está a ter vai numa direcção oposta.

Sobre a Delta Cultura

Fundado em 2002 pelo Austríaco Florian Wegenstein e a sua companheira Cabo-verdiana Marisa Correia, a Delta Cultura foi uma casa que, de uma maneira muito especial, me acolheu desde criança. Aos 12 anos de idade, iniciei o meu percurso na Delta Cultura como mero participante da escola de futebol Delta Cultura. Na época não havia uma variedade de programas educativos da qual se podia participar. O trabalho se limitava simplesmente ao treino de futebol por escalões e um grupo de batuco que representava a vertente cultural em que a Delta Cultura focava também.
Tanto para mim como para todas as crianças na altura, a Delta Cultura oferecia aquilo que sempre desejávamos ter: um espaço onde podíamos treinar e jogar futebol livremente.
Mas com o avançar do tempo, em 2004, a Delta Cultura inaugurou o Centro de Educação Delta Cultura. E com isso a Delta Cultura passou a focar não só na vertente desportiva e cultura, mas também na vertente educativa. Daí em frente o trabalho da Delta Cultura não só se resumia ao treino e jogos de futebol e batuco, mas também ao apoio escolar, que consistia em auxiliar as crianças nos conteúdos escolar e contribuir como um reforço nas suas aprendizagens.
Daí então, o trabalho da Delta Cultura vem desenvolvendo e alargando paulatinamente, com novos programas educativos que enaltecem o valor e o significado da educação e projectos que ajudam na erradicação da pobreza.
Depois de terminar o liceu, tive que deixar a Delta Cultura para ir para a Universidade na cidade da Praia. Depois de 5 anos, terminado os meus estudos, voltei para tarrafal e recebi uma proposta de vir a trabalhar para a Delta Cultura. Não hesitei em dizer que sim, visto que a Delta Cultura sempre foi uma casa para mim, e eu sendo uma pessoa que já esteve no papel de participante do mesmo, sei da necessidade e do valor que o trabalho da Delta Cultura tem para os atuais participantes. Ciente disso, não pude deixar de dar a minha contribuição para o projecto que muito me fez crescer como pessoa e ajudar as crianças e jovens que fazem parte do mesmo a terem uma melhor perspectiva para as suas vidas futuras.
Comecei a trabalhar como Coordenador M&A por um ano, e depois fui apontado ao posto de Coordenador de Programas, função que ainda desempenho.